PALAVRA DE DEUS

POR: Manuel Venade Martins (Pastor Evangélico)

E o mar se levantou, porque um grande vento assoprava. E, tendo navegado uns vinte e cinco ou trinta estádios, viram a Jesus, andando sobre o mar e aproximando-se do barco; e temeram. Porém ele lhes disse: Sou eu não temais. Então eles de boa mente o receberam no barco; e logo o barco chegou, à terra para onde iam. (João 6: 18-21)

INTRODUÇÃO

Muito temos a aprender ainda aos pés de Jesus, vejamos alguns factos: a) Aprender a viver uma nova vida com Cristo, retirada de todos os maus caminhos, vícios ou desvarios, que a vida quotidiana oferece a cada momento; b) Aprender a viver em santidade, conforme se lê. Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor. (Hebreus 12:14) Deixar o engodo pecaminoso, que possamos estar envolvidos há muito ou pouco tempo; c) Aprender a viver em família. Porque está escrito: Crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo, tu e a tua casa. (Atos 16:31); d) Aprender a governar bem a sua casa. Vivendo honestamente, unido ao seu conjugue, participando na criação e educação de seus filhos, guiá-los e instrui-los para sua vida futura; e) Aprender a Louvar e a servir a Deus. Conforme o testemunho de Josué: Eu e a minha casa serviremos ao Senhor. (Josué 24:24)

COMENTÁRIO
JESUS ANDANDO SOBRE O MAR

Sozinhos, sem Jesus, as circunstâncias e as situações começaram a alterar-se. O Senhor Jesus atravessa as contrariedades e desloca-se num meio em que não é normal mover-se o homem, sobre as águas. Perante esta atitude de Jesus, os discípulos ficam possuídos de temor, quando os discípulos se aperceberam que era Jesus, porque Ele mesmo se deu a conhecer, receberam-no de braços abertos. Ao receberem Jesus, logo o barco em que seguiam chegou ao seu destino. Quando queremos alcançar um alvo, um destino, um objetivo, tudo se resolve e rapidamente chegamos lá, quando aceitamos de boa mente a maneira pela qual Jesus chega até nós, mesmo que ela seja a forma menos conveniente na nossa maneira de ver.
O Senhor Jesus não está obrigado a repetir as coisas sempre do mesmo modo. Uma coisa que reparamos nos seus milagres, é que nem sempre Jesus seguiu uma mesma forma ou maneira de fazer as suas Maravilhas, porque correria assim o risco de que tomasse-mos o modelo e a forma em lugar d’Ele. As coisas podem acontecer de forma diferente, mas o que importa é ser Jesus o autor.
A presença de Jesus na nossa vida, é a característica principal de sermos filhos de Deus, de sermos verdadeiramente cristãos. A vida Cristã não é vivida isolada ou individualmente, o cristianismo é a presença vital de Cristo em nós.
Ele habita em nossas vidas através do Espírito Santo. Através de todo o Novo Testamento encontramos esta verdade realçada das formas mais variadas.
O relacionamento pessoal com a pessoa de Jesus Cristo, é o elemento vital de um cristianismo puro. O cristianismo é vida e vida com abundância. Erram todos os que pensam de outro modo, o Evangelho não nos dá a mínima sugestão para pensarmos doutra forma. Porque o cristianismo é o relacionamento pessoal com o Senhor Jesus. Porque Jesus Cristo está vivo, não nos relacionamos com Ele fisicamente, mas pelo nosso espírito podemos ter esse relacionamento bom como através da sua Palavra que nos deixou. Cristianismo é vir a Jesus, arrependido dos seus pecados e seguir a Jesus, amar a Jesus, obedecer a Jesus.
No Evangelho de João o Senhor Jesus apresenta-se de variadas formas, como a base vital da vida Cristã. Diz assim: Eu sou a luz do mundo, quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida. (João 8:12)
Jesus apresenta-se como a luz do mundo que ilumina os homens. Essa luz ilumina a origem e o destino do homem, mostra a vontade de Deus para ele e a situação desesperada em que o homem se encontra sem o Senhor. Assim como a vida é impossível sem a luz física, da mesma sorte a vida espiritual e todas as restantes dimensões da vida do homem são impossíveis sem a luz que é Jesus. Vida abundante, segundo o que a Palavra de Deus apresenta, não é apenas comer e beber que amanhã morreremos. A vida é muito mais do que isso, muito mais alegre e muito mais confiante em Deus.
O homem foi feito para a eternidade, para dominar, para viver em perfeita harmonia com a criação e com o Criador. Tudo isso Jesus veio mostrar com total clareza pela sua vida.
No meio das trevas da ignorância geral do homem sobre o sentido e propósito da vida, eis que surgiu Jesus como a luz. Jesus não veio para trazer uma luz. Ele mesmo é a luz. Seguir apenas uma religião, em que o autor não é o Senhor Jesus, nem aplicada a sua doutrina, é permanecer, em trevas.
Não é qualquer personagem que é a luz, mas Jesus sim, é a luz que ilumina. Isto é totalmente diferente de qualquer religião com seus padroeiros. A luz não é uma igreja (Templo) ou uma denominação, um líder, mas Jesus. Ele sim, é a luz do mundo.

< Voltar