PALAVRA DE DEUS

POR: Manuel Venade Martins (Pastor Evangélico)

E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor. E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos. Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito to colocarei; entra no gozo do teu senhor. (Mateus 25:21-23)

INTRODUÇÃO

O apóstolo Mateus narrou no seu primeiro Evangelho, o sermão que o Senhor Jesus falou para todo o povo, não somente prós Judeus mas com o propósito dos Gentios, saberem o que o nosso próprio Deus (nesse momento o Deus homem) nos alertou, antes da sua partida deste planeta.

Este preceito bíblico é na realidade um alerta principalmente para todos que fazem parte do rebanho do Senhor e se ocupam dos trabalhos na sua vinha, porque assim é identificada a igreja do Senhor Jesus, e seu labor na sua obra, estabelecida no campo, como especiais obreiros, tem o dever de conhecer e saber quem de facto os alistou para executarem as suas funções, que devem ser com o máximo amor e dedicação à sua causa.

Trabalho esse que muitas vezes temos que dar a primazia ou seja colocar as nossas vidas ao serviço do Mestre. Isto que digo é para todos, tanto aos que já estão dentro do Reino de Deus, e se envolvem na sua obra, como também aos que ainda estão fora do Reino de Deus, mas que o Senhor os continua a chamar, à maneiro como a de Pedro e demais apóstolos, que logo deixaram as redes, para servir ao Senhor.

COMENTÁRIO
SÊ FIEL A CRISTO

A fidelidade do Criador é um dos atributos divinos mais em evidência no Seu relacionamento com as criaturas, e a expressão da Sua natureza imutável: - Deus é fiel, não pode negar-se a Si mesmo. Isto significa que o que o Senhor promete, cumprir-se-á infalivelmente. Deus não muda com as circunstâncias, porque é Fiel e Verdadeiro, e não pode mentir. A Sua fidelidade é a inabalável rocha dos séculos, na qual o crente se firma e abriga contra as terríveis tempestades e vicissitudes da vida, sabendo que tudo contribuirá para o bem daqueles que amam a Deus. (Rom 8:28)

O Senhor Jesus, como homem perfeito, é o nosso maior exemplo de fidelidade. Ele foi fiel até à morte, e morte de cruz. Pela infidelidade do ser humano, Jesus recebeu uma condenação injusta como se fosse um malfeitor. No cumprimento da Sua missão divina, Cristo veio ao mundo para salvar os pecadores mediante a Sua morte expiatória, e nada o podia desviar desse propósito, na cruz, o Senhor Jesus Cristo foi fiel até a morte.

Note-se que a fidelidade de Cristo não foi apenas o cumprimento rigoroso de um dever. Muitos heróis têm dado a sua vida no campo de batalha, no cumprimento de um dever. A motivação que levou Jesus à cruz foi o amor. Amor ao Pai celestial e ao próximo.

A fidelidade genuína quando derivada dum amor verdadeiro, e incondicional, resulta em sacrificar-se pelo seu próximo. O apóstolo Paulo é um exemplo nobre dum verdadeiro seguidor de Jesus, ele declarou: Sede meus imitadores, como também eu de Cristo. (1.ª Cor. 11:1) A sua vida missionária tornou-se em sofrimentos e perseguições, no entanto jamais se queixou, nem desanimou, porque sabia em quem cria: Jesus, o seu Salvador, o apóstolo estava pronto a dar a sua vida, se necessário, em sacrifício a Deus e ao próximo, para que Cristo, o seu Senhor, fosse nele glorificado. Na Igreja Primitiva, no meio de duras perseguições, muitos negavam a fé e tornavam-se inimigos dos cristãos, os fiéis refinados no caminho do sofrimento, eram lançados às feras e queimados, mas como Paulo, não negavam a Jesus, o seu Senhor, que por eles morrera na cruz.

No relacionamento entre cristãos, quão importante é a virtude da fidelidade! Ser fiel e revelar-se sincero e leal em quaisquer circunstâncias. A esposa fiel ao seu marido vencerá todas as tentações, passará por todos os sofrimentos, porém nunca deixará de amar o marido, seja na saúde ou na doença, na abundância ou na pobreza, porque assim prometeu diante de Deus no ato do matrimónio. A fidelidade é ainda um compromisso inviolável, Jesus promete: Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa de vida. (Apoc. 2:10) A fidelidade terá, outrossim, a sua recompensa. O crente receberá a vida eterna com um galardão especial de acordo com as suas obras aqui no mundo. Ao servo fiel Ele dirá: Bem está, servo bom e fiel, sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu Senhor. (V. 21).

Uma das fraquezas mais deploráveis na criatura humana é a sua falta de fidelidade. Infidelidade é corrupção moral. O crente que ama ao Senhor deve ser sempre fiel a Deus e também ao seu irmão na fé. Porque fidelidade é amor, e são virtudes gémeas.



< Voltar