PALAVRA DE DEUS

POR: Manuel Venade Martins (Pastor Evangélico)

Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele. Quem crê nele não é condenado, mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do Unigénito Filho de Deus. E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. (João 3:17-19)

INTRODUÇÃO

Desde a ressurreição e a aparição de Jesus aos seus discípulos, logo de imediato o Senhor Jesus lhes disse: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda a criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. (Marcos 16: 15-16) Enquanto o evangelho e o nome do Senhor Jesus está encoberto, em qualquer parte do planeta, eu pelo meu entendimento e conhecimento das Escrituras, posso dizer que é um povo que vive num estado de inocência, no respeitante ao Evangelho, como por exemplo:

Primeiro: Porque a sua consciência nunca tomou conhecimento do poder do Evangelho, porque ninguém chegou perto dessas pessoas com a Mensagem da Palavra de Deus.

Segundo: Esse tipo de pessoas pela sua natureza, poderíamos dizer, tem uma mente inconsciente, não poderão assumir, nem receber o Evangelho, porque não possuem uma mente normal.

Terceiro: Todas aquelas pessoas que tem vivido uma vida tribal e sem o mínimo contacto com a atual civilização, desconhecem por completo o Evangelho, porque nunca chegou às suas vidas. Por conseguinte apresentamos este tipo de pessoas, que desconhecem na totalidade, aquele que deu a vida por eles.

COMENTÁRIO

ACEITA A PALAVRA DE DEUS?

Devemos pensar no amor de Deus, nesse amor sem limite. No entanto Deus condena o homem e por causa disso muitos poderão pensar: Mas afinal como é? A condenação imposta por Deus tem de ser entendida de forma diferente da que conhecemos como justiça humana, aquela que se pratica nos tribunais.

Quando a Bíblia nos fala sobre a luz veio ao mundo, e os homens amaram antes as trevas que a luz, porque as suas obras eram más, quer isto dizer que a palavra de Deus não foi aceite e que a salvação em Jesus Cristo continua a ser rejeitada, e não é recebida em seus corações, apesar do homem estar avisado. Por isso, no final, só lhe resta a infelicidade da condenação. Porque assim como o joio colhido é queimado no fogo, assim será no fim do mundo. Mandará o filho do homem os seus anjos, e eles ajuntarão do seu reino todos os que servem de tropeço, e os que praticam a iniquidade, lançá-los-ão na fornalha de fogo: ali haverá choro e ranger de dentes. (Mateus 13:40-42)

Existe, porém, a justiça de Deus e o Amor de Deus, são atributos diferentes, mas perfeitamente justos. Não é a mente humana que terá capacidade de igualar tal justiça ou tal amor. Muitos que se dizem sábios, estudam a Bíblia e tentam substituir-se ao pensamento de Deus. Nós ficaremos somente na palavra sem a pretensão de suplementá-la com teorias elaboradas pela finita e falha inteligência humana.

Deus ama-nos e é tudo! Tal amor não tem limites, Porque Deus é um Ser justo, tem Ele oferecido a salvação ao homem através de Jesus Cristo, ou se aceita ou se rejeita. A justiça de Deus vem depois, é neste sentido que o Criador castiga o rico, e Lázaro é bem o exemplo de que o pecador pode caminhar neste mundo rodeado de todos os benefícios que entendemos existirem e que podem ser adquiridos mediante a fortuna, quantas vezes conseguida à base de mentiras. Só que, no fim da vida, terão de prestar conta no último julgamento.

A história do rico e Lázaro de que nos fala a Bíblia é suficientemente explicativa e esclarecedora sobre o modo como Deus castigará o homem. (Lucas 16:19-31) Se Deus não condenasse os que violam a Sua Lei, se gozássemos de impunidade, o pecado tomaria proporções assustadoras e a moral sofreria efeitos horríveis e incalculáveis.

É muito vulgar ouvir-se dizer: o Céu e o Inferno são aqui na terra. De facto muitas pessoas pagam alguns males que aqui fizeram, no entanto muitos à que não recebem nesta vida o devido castigo pelo mal que praticaram, as leis de cada país, tão exigentes, deixam impune muita gente que não passará a justiça divina. Sobre tais pessoas Jesus diz: O que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanecerá a ira de Deus. (João 3:36)

No Salmo 103 temos um retrato fiel de Deus e do Seu imemorável amor, a ira de Deus pode tornar-se visível por breves instantes, pois mesmo os melhores filhos precisam da mão disciplinadora de Deus. Mas se a ira se acende por alguns momentos, a chama do amor e da misericórdia revela a benignidade, sem fim! Tal amor ou tal justiça de Deus cresceria e desenvolver-se-ia mais com maior firmeza e doçura, após os ensinamentos de Cristo. O Senhor Jesus veio aclarar quão profunda e veementemente o Pai ama todos os filhos pródigos e os deseja de volta ao lar, diz o apóstolo Tiago. Aproximai-vos de Deus e Ele se aproximará de vós assim está escrito na bíblia. (Tiago 4:8)

Se isto acontecer, se houver da nossa parte a aproximação a Deus, Ele que não falha, não nos deixará na expectativa, por ser um Deus justo e cheio de amor. Seremos então pessoas felizes e cheias de vontade de amar quem nos cerca, porque o Senhor passará a viver dentro de nós. Quando assim suceder, Deus passará a se comunicar connosco através de sua Palavra e do seu Santo Espírito. Ámen.

< Voltar