PALAVRA DE DEUS

POR: Manuel Venade Martins (Pastor Evangélico)

E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração. E perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos. Que faremos, varões irmãos? E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo. (Atos 2:37-38).

INTRODUÇÃO

No livro dos Salmos diz assim: Bem-aventurado o varão que não anda no conselho dos ímpios, antes tem o seu prazer na Lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite. (Salmo 1:1-2)

Este é, sem dúvida alguma, o indivíduo que teme a Deus, e que com toda a certeza deseja alcançar o caminho da salvação, procura desviar-se do mal e gasta parte do seu tempo disponível na meditação da Palavra de Deus. Se eu neste momento estou a falar com esse tipo de pessoa, que anseia conhecer melhor a Deus, e lê a sua Palavra, te quero notar um pormenor ainda. Tudo que desejas receber somente o obterás através do Senhor Jesus Cristo, porque Ele mesmo disse, e tudo quanto pedires em meu nome eu o farei. (João 14:13)

Amigo leitor pede a Deus, em nome de Jesus, nem que seja numa breve oração, que desejas mudar a tua vida de pecado, e te converteres a Cristo, o Salvador do mundo. Que assim seja.

COMENTÁRIO

MUDANÇA DE VIDA

O arrependimento implica uma mudança de pensamento radical que surge da convicção de pecado. Como ele é terrível, apesar de aparentemente ser saboroso e agradável. Sem arrependimento não há nova vida, não há transformação, não há novo nascimento, não há convicção no pecador, de pecado, da justiça e do juízo, que é produzida pelo Espírito Santo, e quando recebida produz essa alteração na mente para com a vida. A mudança da forma de pensarmos e atuarmos na vida, é bem diferente.

Não podemos viver com uma mente dividida, a mente é decisiva, o nosso sistema de valores, a maneira de nos vermos e de vermos a Deus. Esta mudança mental começa com o arrependimento inicial para com a desobediência e continua na obediência, segundo Paulo nos informa em Romanos, capítulo 12. Quanta dificuldade em viver o plano vitorioso e abundante de Deus, porque não há verdadeira mudança de mente em relação ao que Deus é, e ao que Deus quer, a nossa mente precisa ser verdadeiramente esclarecida e iluminada, sobre a qual é a perfeita, agradável e boa vontade de Deus.

Não há acordo possível com o pecado, não há pontuação possível com o pecado, não há desculpa possível para o pecado, pecado é pecado, pecado é definido por Deus em função da Sua natureza e vontade. Mas pecado não é apenas desobediência moral, é também uma vida falhada por não ser vivida na direção divina e na plenitude de Deus.

No que se refere ao arrependimento é deixar de praticar o pecado e ser positivo em relação à vontade de Deus e ao Seu plano para nós. Para o pecado há perdão completo e total na obra expiatória que Cristo consumou absolutamente na cruz do Calvário. Assim como o Oriente está longe do Ocidente, assim Deus afasta de nós os nossos pecados.

Gostaria de falar ainda da convicção e conversão: São duas palavras distintas, mas que têm profunda influência no estado espiritual de qualquer pessoa.

1) A convicção leva-nos a reconhecer a nossa culpa, como David, conforme o expresso no Salmo 51, onde manifesta o senso de responsabilidade pelos seus atos indignos, que foram: As suas transgressões, a sua iniquidade e o seu pecado. Tudo isto afligia a sua consciência ao lembrar-se do baixo nível a que chegara na sua imoralidade. Tal caso não o levava apenas a mostrar a sua tristeza pelo mal que fizera ao seu próximo, além do mais, ele experimentou o peso de ofender a santidade de Deus, o que o levou a confessar: Contra Ti somente pequei.

2) A convicção, por outro lado, conduz-nos à certeza obtida por factos ou razões que não deixam quaisquer dúvidas, já a conversão fala duma mudança, do mau para o bom procedimento; fala duma transformação do estilo de vida, em conformidade com as regras e doutrinas da Palavra de Deus, a BÍBLIA. Esta atitude envolve o intelecto, as emoções e a própria vontade da pessoa que deseja ser uma nova criatura. Entre os exemplos maravilhosos duma conversão, temos a notificar o do Apóstolo Paulo, o qual dá testemunho que era blasfemador, perseguidor e injuriador dos cristãos. Todavia, miraculosamente deu-se o inverso em Damasco, ele arrependeu-se, é salvo, e sofre martírio por causa da sua fé em Jesus Cristo. A partir daí, e de futuro seria o grande apóstolo dos Gentios, um vaso que Deus usou para conduzir muitas almas ao Senhor.

Vivamos a vida cristã no Espírito, só assim terá sabor e será abundante. Não a vivamos órfãos, desapoiados, sem Deus, sem amparo, sem consolo, sem ânimo, sem fortalecimento, sem determinação, sem ousadia, sem vivacidade. Vivamo-la no Espírito, deixemos que o Espírito tome o leme da nossa vida, da nossa mente, da nossa boca, dos nossos sentimentos, do nosso caráter.

Deixemos que o Espírito Santo nos possua no que conforme somos e no que temos. Deixemos que o Espírito nos capacite, nos santifique, intercedendo por nós, nos leve a adorar a Deus. Gozemos da liberdade que há no Espírito, não para dar lugar à desobediência, mas sim ao louvor, à adoração, com uma vida abundante.



< Voltar