PALAVRA DE DEUS

POR: Manuel Venade Martins (Pastor Evangélico)

 

Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; aos que creem no seu nome. Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade do varão, mas de Deus (João 1:11-17).

INTRODUÇÃO

Todos tem a grande oportunidade de se tornarem em filhos de Deus. Porque Deus não faz aceção de pessoas, tanto ricos como pobres, pessoas cultas como analfabetas de qualquer nação, ou mesmo a tribo mais remota cá neste universo. A todos Deus considerou terem esta grande possibilidade em suas vidas.

Embora que a mensagem do Evangelho continua sua própria rotina, pelas nações, homens de Deus saem além-fronteiras, deixando seu conforto, suas comunidades e até suas próprias famílias, para atenderem ao chamado de Deus, mas a colheita é muito reduzida para o Reino do Mestre. A que se deve isto? Deve-se ao facto de tanta falta de interesse, da multiplicação da iniquidade (pecado) e da soberba da vida, são estes factos que desviam o homem de Deus.

Mas, entretanto, no meio disto, ainda há um povo que não se contamina e nem se envergonha do Evangelho de Cristo.

COMENTÁRIO

QUEM SE PODE TORNAR NUM FILHO DE DEUS?

Quando aceitamos o Senhor Jesus como nosso Salvador pessoal somos feitos filhos de Deus, o que é fruto do Seu grande Amor por nós. Veio buscar-nos ao mundo, onde jazíamos em delitos e pecados para passarmos a pertencer à família de Deus, passando a ser tratados pelo Senhor Jesus como irmãos. É por isso que temos que contar com a posição do mundo, porque não somos do mundo (João 15:19).

Os direitos dos filhos são eternos, porquanto foram escolhidos para cooperarmos com Deus na Sua vinha (igreja). Não foi aos anjos que o Senhor deu o privilégio de administrar o universo que criou, mas à Sua Igreja. Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? No futuro nós estaremos para sempre com o Senhor (1ª Tess. 4:17).

Os santos do passado, na dispensação da lei, mostraram quanto amavam ao Senhor através de vidas de sacrifício que iam até a morte (Hebreus 11:4). Experimentaram escárnios e açoites, e até cadeias e prisões. Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos ao fio de espada, andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratadas, dos quais o mundo não era digno. Mas, nós somos feitos filhos de Deus, privilégio que pertence aos remidos pelo sangue de Cristo. Aqueles mártires já receberam do Senhor a recompensa. Estão gozando as delícias da mansão eterna, mas para a Igreja, após o arrebatamento, tem o Senhor preparado no Céu uma grande festa, as bodas do Cordeiro. Ali se encontrará a grande multidão de todas as nações, raças e línguas, em convívio fraterno, livres de toda a mágoa e dor, na presença do Senhor, a quem tanto amam. Há suprema alegria entre a Igreja, a esposa do Cordeiro e o Seu esposo, Jesus; ali, naquele glorioso festim estarão presentes, como convidados de honra, os santos que habitam a morada eterna.

Esta mesma multidão estará perante o tribunal de Cristo, não para condenação, mas para cada um receber o louvor do Senhor e a recompensa pelo trabalho que realizaram enquanto aqui viveram. Cuidado, não enterremos na terra o talento que o Senhor nos dá. Todos os que foram despertados para a SALVAÇÃO receberam um dom, o qual devem pôr em ação. Ai daqueles que nada produzem, para a glória de Deus e para bem dos seus semelhantes, seu fim será muito triste.

Fraseando a verdade, muitos religiosos dizem que todos são filhos de Deus, ainda que vivam em pecado. Mas filhos de Deus são só aqueles que nasceram de novo, que aceitaram a Cristo como seu Salvador e vivem separados do pecado e do mal. Que alegria e gozo eterno pertencermos à família de Deus! Amém!


< Voltar